22 Jan

Casos suspeitos de microcefalia associados ao zika vírus aumentam no Ceará

Aumentou para 216 o número de casos de microcefalia associada ao zika vírus no Ceará, de acordo com boletim divulgado na última segunda-feira, 18, pela Secretaria de Saúde do Estado do Ceará (SESA).  Os casos foram identificados em 51 municípios e em 15 regiões de saúde.

Ainda segundo informações da SESA, do total de casos suspeitos, 208 estão em investigação, e em apenas um deste foi confirmado o óbito, na cidade de Tejuçuoca, munícipio a 159km de Fortaleza. Os outros casos foram descartados. Dentre os 216 casos, foi constatado a microcefalia em 92% pós-parto, e em 8% detectada na forma intra-uterina.

Conhecendo o zika

O vírus Zika é transmitido especialmente por mosquitos infectados, principalmente o mosquito da dengue (Aedes Aegypti). A maioria das pessoas infectadas não tem sintomas, mas quando surgem são principalmente erupções na pele, olhos vermelhos e dores no corpo. Os sintomas desaparecem geralmente em uma semana. 

Você pode colaborar com a prevenção:         

 

  • Mantenha o lixo em sacos fechados e espere o carro de coleta do seu município.
  • Evite o acumulo de água em potes, garrafas, pneus, e em vasos de plantas.   
  • É essencial que a caixa d’água esteja sempre limpa e coberta com uma tela de proteção.
  • Limpar ralos e solicitar ao agente de endemias da sua região o uso de produtos para evitar proliferação do mosquito.
  • Mantenha portas e janelas fechadas.

Cuidados 

O Ministério da Saúde alerta sobre alguns cuidados e faz algumas recomendações às gestantes: 

  • É importante atualizar as vacinas de acordo com o calendário vacinal do programa nacional de imunização do Ministério da Saúde.
  • Redobre a atenção sobre a qualidade daquilo que se ingere (água, alimentos, medicamentos), o que você consome ou se tem contato, devemos levar em consideração a ação desses produtos no desenvolvimento do bebê.
  • Proteger-se das picadas de insetos, evitando horários e lugares com presença de mosquitos e, sempre que possível, utilizar roupas que protejam o corpo.
  • Consulte o médico sobre o uso de repelentes e verifique atentamente no rótulo a concentração do produto e definição da frequência do uso para gestantes
  • É importante o uso de telas de proteção, mosquiteiros e ar-condicionado também são medidas de proteção.
  • Se houver qualquer alteração no estado de saúde, principalmente no período até o quarto mês de gestação, comunicar aos profissionais de saúde.
  • Mantenha portas e janelas fechadas.
Última modificação em Sexta, 22 Janeiro 2016 16:54
Avalie este item
(0 votos)

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo